Esta plataforma utiliza cookies de terceiros para melhorar a experiência do utilizador e os serviços que prestamos. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita a sua utilização.

Novas ferramentas para maquinação apresentadas em seminário da CEFAMOL

Voltar à listagem

'Redução de tempos de produção e otimização da ferramenta na maquinação de moldes' foi o tema em destaque no seminário que, organizado pela CEFAMOL, decorreu no dia 8 de novembro, no Centro Empresarial da Marinha Grande.

 

A ação, dinamizada pela Tecnirolo, em conjunto com a Moldino, contou com a presença de mais de oito dezenas de profissionais, a grande maioria pertencentes a várias empresas da indústria de moldes.

 

Bruno Gonçalves, da Tecnirolo, começou por contar a história da empresa que, em 1989, iniciou a sua atividade prestando assistência técnica a máquinas CNC mas que, com o passar dos anos, e com a evolução da indústria de moldes, evoluiu também para o desenvolvimento de softwares e soluções adequadas à satisfação de necessidades da indústria.

 

De entre as soluções, fez a apresentação da nova versão do software 'WorkNC', destacando que permite um fácil acesso entre CAD e CAM, permitindo ainda várias estratégias de resposta, inclusivamente ao nível de automatização.

 

Mas a apresentação das empresas centrou-se num novo conjunto de ferramentas, em fase experimental este ano e que serão comercializadas a partir de 2019: a nova série Gallea. Trata-se, segundo Carlos Vicente, da Moldino/Hitachi, "de aproveitar as ferramentas perfiladas de luneta e barril que são novas, com novas geometrias, e vão ser aplicadas aos nossos novos algoritmos do software. No conjunto, software e ferramentas vão ser utilizados para melhorar o desempenho de produção, sejam os tempos de fabrico, seja a qualidade das peças".

 

As ferramentas têm sido, nas últimas semanas, testadas em várias empresas a nível internacional. No caso de Portugal, os testes decorreram na Marinha Grande, na empresa TJ Moldes. Os resultados deste 'case study' foram apresentados no seminário.

 

As novas ferramentas, explicaram Carlos Vicente e Sérgio Lavos, também da Moldino/Hitachi, permitiram, em comparação com o processo convencional da empresa, reduzir o tempo de maquinação da peça testada em 62%. Enquanto pelo sistema convencional, a peça demorou 70 minutos, com as novas ferramentas o processo foi concluído em 27 minutos. O processo acabamento foi também reduzido em 25% com as novas ferramentas.

 

Bruno Gonçalves sublinhou que o teste se realizou "numa peça de pequenas dimensões". mas que os resultados podem "ser extrapolados para as peças maiores". Para além da redução dos tempos de maquinação e da qualidade atingida, Carlos Vicente sublinhou um outro aspeto: a qualidade. "A nossa prioridade é ter processos seguros", explicou.

 

Tecnirolo e Moldino/Hitachi manifestaram-se disponíveis para repetir este teste nas empresas que assim o desejem, por forma a provar a eficiência já demonstrada. E apresentaram um outro 'case study', realizado na produtora de automóveis Audi, onde a redução do tempo de maquinação, com a utilização das novas ferramentas, ascendeu a 52%.

 

"Esta nova série de ferramentas é mais um apoio que, junto das soluções que apresentamos, permite a otimização dos processos", frisou ainda Carlos Vicente.

 

Os responsáveis apresentaram ainda as vantagens de um outro sistema que disponibilizam à indústria, o 'Production50' que, destacou Sérgio Lavos, permite, numa parceria estreita com cada empresa, analisar as necessidades e criar soluções à medida que possibilitam "reduzir custos e aumentar eficiência".

 

No final, a plateia mostrou-se interessada e participativa, colocando várias questões sobre a performance e aplicabilidade dos sistemas apresentados.

 

Bruno Gonçalves, referindo-se a todas as tecnologias, terminou lembrando que "não são um milagre que vão solucionar todos os problemas: é preciso que quem trabalha nesta área olhe bem para as peças e perceba a melhor forma de aproveitar as tecnologias para reduzir tempos e ganhar qualidade".  

Agenda