Esta plataforma utiliza cookies de terceiros para melhorar a experiência do utilizador e os serviços que prestamos. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita a sua utilização.

Plastimagen: Dinâmica empresarial do México anima empresas nacionais

Voltar à listagem

A CEFAMOL participou, entre os dias 2 e 5 de abril, em mais uma edição da feira Plastimagen, que decorreu no Centro CitiBanamex, na Cidade do México. A exemplo de anteriores participações, a representação nacional juntou-se num único espaço, o Pavilhão de Portugal, onde a Associação se fez acompanhar por sete empresas, nomeadamente a Batista Moldes, Duomold, Frumolde, SET, Socem, Tecnimoplas, e ainda a join venture Mexportools (composta pelas empresas ASG Moldes, Moldit, Moldworld, Ribermold e TJ Moldes).


Patrício Tavares, da CEFAMOL, explica que, no que diz respeito ao feedback sobre esta feira, há, para as empresas nacionais, dois pontos essenciais a reter: "por um lado, um menor número de visitantes, mas, por outro, a maior qualidade e concentração de contatos com potencial futuro".


Este último ponto constitui, no seu entender, "um bom indicador do desempenho do certame", ao que se soma o quadro de confirmações de espaço para a próxima edição da feira que terá lugar em novembro de 2020. Com efeito, conta, o certame "já se encontra preenchido em mais de 80%, revelando o agrado dos expositores com a participação nessa edição".




Sublinha ainda que "as novas inscrições neste evento poderão ter algumas dificuldades na aquisição de espaço com a configuração ou localização desejada, motivo pelo qual a CEFAMOL pretende manter o espaço que ocupa no certame há 7 edições consecutivas".


Na edição deste ano, a participação nacional recebeu, entre outras, a visita do Embaixador de Portugal no México, Jorge Oliveira, assim como do delegado da AICEP, Álvaro Cunha, que estiveram presentes no Pavilhão Nacional, e onde tiveram oportunidade de conhecer e apoiar as empresas de moldes nacionais, disponibilizando-se inteiramente para auxiliar em todos os esforços necessários para reforço da sua posição no mercado.


Foi, portanto, uma participação que se saldou pela positiva naquela que é considerada a maior e mais completa feira dedicada à indústria do plástico da América Latina, considerou ainda Patrício Tavares, frisando que o certame "é um ponto de encontro único para gestores e técnicos nas áreas de equipamentos, matérias primas, transformação de plástico e serviços de apoio de empresas locais".



Mercado de oportunidades


O mercado mexicano mantém-se como de grande interesse para os produtores de moldes nacionais. Em 2018, representou mais de 2% das exportações da indústria de moldes, com mais de 14 milhões de euros vendidos.


Patrício Tavares ressalva que, apesar de se tratar de um decréscimo face ao ano anterior, "os indicadores são favoráveis num mercado onde a economia cresceu cerca de 2% em 2018". Este abrandamento do desempenho nas exportações, recorda, está relacionado, em muito, com constrangimentos semelhantes aos que se verificam na Europa, nomeadamente na indústria automóvel, o principal cliente do sector. "Verifica-se, por outro lado, a existência de vários projetos pendentes, que poderão ser lançados nos próximos tempos, e que irão de certeza apresentar novas oportunidades para os moldes nacionais", defende.

Agenda