Esta plataforma utiliza cookies de terceiros para melhorar a experiência do utilizador e os serviços que prestamos. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita a sua utilização.

Internacionalização em Cooperação

Voltar à listagem

Tema dinamizado no âmbito do Projeto “Tool2Market”

Baseado numa longa experiência existente no Sector nesta área e no reconhecimento que este é um fator diferenciador da Indústria Portuguesa de Moldes a nível internacional, pretende-se com esta iniciativa apoiar as empresas a reforçar uma intervenção consolidada na conquista de novos mercados.


Ao longo do Projeto serão elaboradas duas ferramentas referentes a esta temática: um guia de apoio às empresas na conceção de estratégias conjuntas de internacionalização e representação em mercados externos – “Guia para a Internacionalização em Cooperação” – e uma análise concreta de um mercado através do estudo “Criação de unidade de apoio local”, o qual surgirá como continuidade e aplicação prática de um modelo de estratégia colaborativa apresentada anteriormente.


Sendo recorrente a solicitação a que as empresas de moldes estão sujeitas por parte dos seus clientes para os acompanharem em processos de internacionalização e a constituir unidades de produção e/ou assistência técnica em mercados em expansão, torna-se fundamental que estas encontrem soluções que permitam responder a tais desafios.


Vários têm sido os modelos adotados pelas empresas nacionais para expandirem fora de portas o seu negócio – acordos de parceria, criação de novas unidades, equipas de assistência técnica, agentes locais, entre outros. No entanto, e considerando que o Sector é maioritariamente constituído por PME, tais processos apresentam-se extremamente pesados, onerosos e difíceis de concretizar, sendo fundamental para o sucesso gerar dimensão e ganhar massa critica que ajude a absorver os impactos criados na organização (financeiros, recursos humanos ou tecnológicos).


Analisando este contexto, e considerando a experiência de cooperação existente há muitos anos na Indústria de Moldes nacional, a CEFAMOL lançou o desafio aos seus Associados para estudar e discutir no seio do Sector modelos colaborativos de internacionalização e presença em mercados externos. Esta iniciativa teria como principal objetivo apoiar a criação de sinergias e complementaridades entre empresas que permitam aumentar a sua competitividade numa abordagem diferenciadora em áreas geográficas de elevado potencial económico.


Assim, e para além da análise de modelos conceptuais, pretende-se apoiar as empresas a colocar em prática e exemplificar num mercado concreto os conceitos apresentados teoricamente. Para o desenvolvimento deste trabalho, e dadas as caraterísticas específicas do país, o México foi identificado como alvo para esta iniciativa.


Tendo sido este projeto difundido junto de todos os Associados da CEFAMOL, sete empresas responderam afirmativamente ao mesmo e disponibilizaram-se para participar, analisar condicionantes e discutir formas e modelos de colaboração.


O estudo foi posteriormente iniciado, sendo regularmente acompanhado e discutido com as empresas (tendo o grupo, entretanto, sido reduzido para cinco participantes) – A. Silva Godinho, Moldit, Moldworld, Ribermold e TJ Moldes, o que permitiu que estas fossem criando bases e pressupostos de entendimento que possam originar áreas de cooperação entre elas.


Em complemento, foi organizada entre 28 de novembro e 2 de dezembro, uma visita ao México, mais concretamente às regiões de Guanajuato e San Luis Potosi, onde foi possível contactar com instituições e empresas locais, analisar necessidades, desafios e oportunidades que tais áreas encerram.


Os resultados dos estudos desenvolvidos – teóricos e práticos – serão apresentados ao Sector no segundo semestre de 2017, sendo objetivo da CEFAMOL que os mesmos sejam impulsionadores do reforço da colaboração entre empresas e alavancadores de novas redes de cooperação e novos modelos de negócio ou presença em mercados internacionais.


Dependendo dos resultados e/ou sucessos atingidos, a Associação pretende replicar o modelo de intervenção para outros países ou regiões, apoiando desta forma a internacionalização e o posicionamento de referência da Indústria Portuguesa de Moldes.

 

undefined

Agenda