Esta plataforma utiliza cookies de terceiros para melhorar a experiência do utilizador e os serviços que prestamos. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita a sua utilização.

Avaliar a maturidade tecnológica das empresas permite ganhar competitividade

Voltar à listagem

A apresentação de um conjunto de soluções que permitem aumentar a competitividade das empresas foi o principal foco do webinar ‘Ferramentas de Gestão de Inovação e Indústria 4.0’, que decorreu no dia 12 de novembro, organizado pela parceria constituída pela CEFAMOL, a COTEC - Associação Empresarial para a Inovação e a NERLEI - Associação Empresarial da Região de Leiria.


Lembrando a “exigência que caracteriza os dias de hoje”, Jorge Portugal, diretor geral da COTEC, salientou a importância que tem, no mundo empresarial, a inovação tecnológica. E nesse aspeto, considerou de grande relevância o conjunto de soluções que a COTEC disponibiliza às empresas, sobretudo no que diz respeito ao processo de avaliação de maturidade tecnológica das organizações, passo que classifica como “fundamental” no caminho da inovação.


“Sabemos que a inovação é um processo, uma competência empresarial que permite revitalizar as margens de negócio; permite crescer com rentabilidade”, destacou, frisando que uma empresa que não inove“ pode, até, ter algum tempo de mercado, mas inevitavelmente vai ficar sujeita à concorrência e isso acaba por se traduzir no declínio das margens”. Ou seja, no seu entender, “crescer é importante, mas o mais importante é fazê-lo com rentabilidade”. Isso só é possível com inovação, frisou.


E esta é, defendeu, uma competência de gestão das organizações que se reflete num conjunto de passos que assentam no planeamento estratégico e que este permite definir o rumo e o caminho para alcançar um futuro de sucesso. Neste percurso, lembrou a importância que assume também a escolha dos parceiros. “É tudo isto que as nossas ferramentas permitem fazer de uma forma estruturada e sistemática”, assegurou.


Inovação
“Sabemos que algumas empresas já têm muito trabalho feito em termos de planeamento estratégico, mas aquilo que temos visto, no contacto com o tecido empresarial é que, normalmente, esse planeamento não abrange a inovação”, sublinhou. Por isso, foi em resposta a esta necessidade que a COTEC criou ferramentas de ‘avaliação da maturidade’ das empresas no que diz respeito à Indústria 4.0 e também de construção de caminhos de ‘transformação e de gestão da inovação’.


Nesse sentido, foram apresentadas, com maior rigor, duas soluções que, entre si, se complementam: a “Theia” e o “Innovation Scoring”. Apresentados por Irina Filipe e Armindo Carvalho, da COTEC, os dois sistemas permitem a realização de um autodiagnóstico à maturidade dos processos das empresas.


“Mais do que dar o ‘rating’ de cada organização, esta solução permite dar uma ambição de melhoria, e os processos a seguir para lá chegar”, enfatizou Jorge Portugal. “É esta projeção do futuro, de forma sistemática, que qualquer destas ferramentas possibilita.


Com isto, a empresa pode, de forma estruturada, definir quais os seus investimentos seja em inovação, em capacidade dos seus colaboradores, dos processos que necessita de alterar ou mesmo a relação com os fornecedores e/ou os clientes”, salientou, acrescentando que “cada empresa terá a sua própria realidade, uma vez que estas ferramentas não foram desenvolvidas para um sector especifico; são transversais a várias atividades”.


Manuel Oliveira, secretário-geral da CEFAMOL, e Henrique Carvalho, diretor executivo da NERLEI, manifestaram-se convictos de que com esta sessão a meia centena de participantes no webinar ficaram mais elucidados em relação às potencialidades destas ferramentas, bem como o contributo que estas podem dar à melhoria do seu processo produtivo e organizacional.

Agenda