Esta plataforma utiliza cookies de terceiros para melhorar a experiência do utilizador e os serviços que prestamos. Ao continuar a navegar, consideramos que aceita a sua utilização.

Webinar dá a conhecer potencial do mercado de Marrocos

Voltar à listagem

Dar a conhecer às empresas, Associações e demais organizações nacionais o potencial da Indústria de Plásticos em Marrocos nos domínios do comércio, investimento e I&D, foi um dos principais objetivos de um webinar que decorreu no dia 11 de maio, organizado pela Federação de Plasturgia de Marrocos, em conjunto com a AICEP e as associações CEFAMOL e APIP.


Perante uma assistência ‘virtual’ de cerca de quatro dezenas de profissionais ligados aos sectores dos moldes e plásticos, Nabil Saouaf, diretor geral da Federação de Plasturgia de Marrocos deu nota do incremento industrial que tem acontecido naquele país, nos últimos anos, sobretudo em áreas como a indústria automóvel. “Conhecemos bem o vosso dinamismo, o vosso posicionamento e o vosso valor nesta indústria”, afirmou, aconselhando as empresas que desejem conhecer o mercado marroquino a que o façam de forma organizada, através das associações sectoriais que as representam. A Federação de Plasturgia, adiantou, poderá “esclarecer algumas questões e apontar alguns caminhos”, defendendo a importância de, em Marrocos, se construírem parcerias estratégicas.


Um dos destaques da sua intervenção foi a apresentação da 10ª edição do International Forum-Exhibition of Plastics Industry, um certame dedicado ao plástico, que terá lugar nos dias 28 e 29 de junho, em Casablanca.


Nabil Saouaf salientou que, a exemplo do que irá acontecer com outros países europeus, a organização gostaria de disponibilizar um espaço para uma participação coletiva de Portugal.


Taha Chokry, organizador delegado desta feira, falou de forma muito genérica das atividades que estão programadas para esses dias, entre as quais palestras e encontros bilaterais. Acrescentou que o certame deverá contar com a presença de importantes players do sector.


Manuel Oliveira, secretário-geral da CEFAMOL, e Amaro Reis, presidente da APIP, deram nota das características e posicionamento dos respetivos sectores. Já Joana Neves, Diretora da AICEP em Marrocos, destacou que aquele país tem vindo a desenvolver a sua indústria, desde 2014, no âmbito do Plano de Aceleração Industrial. A indústria de plásticos é, a este nível, considerada estratégica. Este plano, adiantou, foi objeto de novo impulso com a entrada em vigor do Plano de Recuperação pós-pandemia.


De acordo com dados da AICEP, com cerca de 37,3 milhões de habitantes (64% corresponde a população urbana), dos quais 44% tem menos de 25 anos, Marrocos caracteriza-se por ter uma maior estabilidade política, social e económica face a outros países da região.


As reformas económicas introduzidas ao longo dos últimos anos, a crescente abertura ao exterior, o investimento em infraestruturas e a aposta num conjunto de sectores considerados estratégicos para o desenvolvimento e modernização do país (energia, agricultura, indústria e turismo), mudaram de forma muito positiva a face económica de Marrocos que, de acordo com o INE, foi o 13º cliente das exportações portuguesas de bens em 2020.



Agenda

array ( 'type' => 8, 'message' => 'Use of undefined constant id - assumed \'id\'', 'file' => '/home/cefamol/public_html/datafuncs.php', 'line' => 1423, )